segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

30 coisas que o veterinário nunca lhe dirá

Pois é, assim como em todas profissões, há coisas que cada um de nós faz no trabalho que não conta nem ao diabo! O cozinheiro nunca lhe dirá que está constipado e, ups, espirrou para a sopa; o mecânico nunca lhe dirá que sobraram 3 parafusos e 2 porcas depois de voltar a montar a caixa de velocidades do seu carro; o advogado nunca lhe dirá que chumbou àquela cadeira, tão importante para defender o seu caso; nem o informático lhe dirá que ligar e desligar o computador talvez resolvesse o problema.

Assim como em todas estas profissões, também nós fazemos muitas coisas nos bastidores do consultório e pensamos ainda mais coisas quando certos donos se apresentam de determinada maneira na consulta.

Aqui estão apenas 30, que poderão, ou não, aplicar-se à maioria de nós:

1. Os veterinários têm mais medo de pequenos chihuahuas do que de rottweilers monstruosos. Cães pequenos são muito mais mimados do que os maiores, tendo maior margem para fazerem o que querem, o que inclui morder. Ah ele morde mas não magoa dra! Então ponha lá a sua mão na boca do bicho enquanto lhe dou a vacina, 'saxavôr! Por favor donos, tenham bom senso e entendam que, o que para vocês é normal, para nós é visto como uma cena sórdida de "sado-maso" onde se é mordido e se gosta.

2. Se for mal-educado ou agressivo para um dos funcionários da clínica, não será tratado com delicadeza, e nem se irá aperceber disso. Há pessoas que só percebem se falarmos na mesma língua que elas; todas as profissões merecem respeito e não tenho a culpa de se ter esquecido da receita de um medicamento que só posso vender se ma apresentar! 

3. Muitas vezes, a razão pela qual o seu animal é gordo, é porque você também é! Geralmente, as pessoas que não cuidam da sua alimentação, dificilmente entenderão o significado de 'porção diária' ou de 'cortar calorias'. Se dizemos que não pode dar guloseimas porque o seu gato está a pesar 10kg isso inclui a guloseima do "é só hoje"!

4. Geralmente sabemos quando está a mentir. Se o seu cão aparece na consulta com uma massa gigantesca de 4kg a pendurar do abdómen e com um aspecto caquético, por favor não me venha dizer que apareceu ontem!

5. Não temos a culpa de ser pobre! Se recomendamos uma série de análises, diz-nos que tem contenções financeiras, oferecemos um plano mais reduzido e mesmo assim se recusa, não descarregue a sua frustração no médico por este não conseguir adivinhar o que o seu animal tem.

6. Tenha noção que durante as horas de visita o pessoal do internamento está a trabalhar. Quando lhe dizemos "Pronto, agora o Fofinho vai descansar", estamos basicamente a dizer "Sra. Maria, temos exames a fazer ao seu animal e está a empatar-nos".

7. Aos donos cujos cães foram atropelados e entram em colapso quando lhe dizemos que a cirurgia para salvar o seu animal custa 1000€, só me apetece dizer-lhes "uma trela custava-lhe 2€..."

8. "Eu sei que ele não devia comer, mas..." P-o-r  f-a-v-o-r! Este é o típico dono que, geralmente, quando pega num chocolate, todos os dias, pensa a mesma coisa. A diferença é que o chocolate não nos mata. Dar comida não é dar amor!

9. Cada vez que salvamos um animal, salvamos uma pessoa. A típica dona velhota que não tem mais nada na vida senão os seus gatinhos e a única vez que tem interacção social é quando os leva ao veterinário, mesmo que quem esteja a precisar da consulta seja ela :)

10. Quando há donos que entregam os seus animais na clínica por não terem dinheiro para tratar das suas doenças, muitas vezes é alguém da clínica que fica com eles.

11. Muitos de nós dão borlas! Quando vemos que um dono que está com dificuldades, escrevemos na ficha "contenção monetária" e tentamos gastar o mínimo possível, muitas vezes nem cobramos consultas. Sim é verdade, e era bom que nos agradecessem por isso de vez em quando.

12. Muitas clínicas têm estagiários ou pessoas recém-formadas lá e sim, elas treinam no seu animal (nada que lhes inflija dor, à partida). Como poderão elas treinar se não for num animal, principalmente se for um hospital escolar. Se isto o incomoda, por favor, refira que não consente antes do seu animal ser internado, tentaremos cumprir.

13. Raramente podemos ajudar com problemas comportamentais: culpem os programas curriculares das faculdades! Não percebemos nada disso

14. Não precisamos ter altas notas no secundário para entrar em medicina veterinária: existem faculdades privadas onde só é necessário ter dinheiro, ou muita coragem para nos endividar-mos para o resto da vida.

15. Não há nenhuma legislação quanto à eutanásia. A única regra que nos rege é o bom senso e a ética.

16. Animais saudáveis não precisam de vitaminas. As rações hoje em dia têm todos os componentes que os animais precisam para uma dieta balanceada.

17. Por falar em ração, não alimente o seu animal com comida caseira. É muito difícil incluir todos os nutrientes que o animal precisa, a não ser que consulte um veterinário nutricionista. Este site, em inglês, pode também ajudar: www.balanceit.com 

18. As pipetas e coleiras baratas que se vendem nos supermercados não funcionam. Pois é.

19. Gatos de interior não precisam de vacinas. Depois daquelas vacinas nos primeiros meses de vida, um gato que nunca sai de casa nem contacta com outros gatos não vai apanhar nada a não ser uma vida sedentária.

20. Não se ponham a tocar no nariz do cão para ver se tem febre. Gostava de saber onde surgiu este mito, há muitos animais saudáveis com um nariz mais seco que um bocado de granito e animais a morrer com um nariz mais húmido que as Cataratas do Niágara.

21. O pior erro é aparecer na consulta tarde demais. Geralmente, se o seu animal estiver com algum sintoma por mais de um par de dias, é porque está doente e precisa de ir ao médico.

22. Se o animal estiver mesmo doente, o melhor é levá-lo durante a manhã. Ao fim do dia, como qualquer outro profissional, queremos é ir para casa, tirar os sapatos, deixar de cheirar a pêlo molhado e a sangue infectado e fazer o jantar. Se a clínica fecha às 19H e traz o seu animal às 18H com a história de que anda a vomitar há 2 semanas, não espere que o seu caso seja tratado com a urgência que merece, quando nem o próprio dono o tratou.

23. Se tem um animal, principalmente de raça, invista num seguro de saúde. Ah e tal, e se eu não usar o seguro, que desperdício de dinheiro! Quando paga o seguro do carro, e chega ao fim do ano e não teve nenhum acidente, também pensa "Bolas, não tive nenhum acidente, que desperdício de dinheiro."? Bem me parecia...

24. Muitos veterinários não se actualizam em relação às directrizes mais recentes de tratamentos. E não há muito que possamos fazer em relação a isso, a não ser mudar de veterinário.

25. Muitas farmácias vendem o que nós vendemos nas clínicas, às vezes até mais barato. Pesquisem antes de comprar!

26. Muitas das embalagens/latinhas de comida "gourmet" são basicamente comida de plástico para o seu animal. Sim, aquelas caras do supermercado.

27. A maior parte dos medicamentos que damos aos animais tem uma versão mais barata para humanos, com doses diferentes, claro. Contudo, o código ético não nos permite receitar medicamentos de medicina humana quando há opções específicas para aquela espécie. Mas toda a gente já fez isso.

28. Levem o gato numa transportadora de plástico com tampa superior, daquelas feias mesmo. Esqueçam aquelas malinhas maleáveis com padrões de patinhas e espinhas às cores e brilhantes à volta. Não só são difíceis de higienizar quando o seu gato vomitar (e não só) a caminho do veterinário (e ele irá fazer tudo isso), como são perigosas para nós quando queremos tirar o animal lá de dentro.

29. Não reclamem de uma conta de 100€ quando têm telemóveis de última geração e carros maiores que o do próprio patrão.

30. Agradeçam ao vosso veterinário todo o esforço que faz, com limitados recursos (afinal os animais ainda não falam), para que o vosso animal esteja sempre bem.

Shhhhh... é segredo!